Uma Verdade Inconveniente


É fato que a sociedade moderna enfrente problemas ambientais que, não muito tempo atrás, eram tidos como fantasia. Dentre esses problemas destaca-se o aquecimento global.  Mas, será mesmo que estamos contribuindo para intensificar o clima no planeta?  Qual é o ponto de vista do governo em relação a essa problemática?  Esses são questionamentos que são mostrados e exemplificados por Al Gore no filme “Uma Verdade inconveniente”.       
              Do diretor Davis Guggenheim, Uma Verdade Inconveniente é um filme em forma de documentário que mostra o ex-candidato a presidência dos Estados Unidos Al Gore realizando suas palestras de consciência do aquecimento global ao redor do mundo, expondo, de forma didática e simples, os mitos e equívocos que cercam esse tema. Neste retrato íntimo de Gore e seu "Travelling global warming show", aparece como nunca antes na mídia: engraçado, envolvente, aberto e com a intenção de alertar os cidadãos para esta "emergência planetária" antes que seja tarde demais.
               De início, o filme mostra Al Gore em um auditório, utilizando-se de slides, gráficos e vídeos pra falar sobre a problemática ambiental atual, no caso o aquecimento global. É feita uma pequena explanação sobre a camada de ozônio e como os seres humanos a estão afetando é feita e em seguida uma pequena animação, feita pelo criador dos Simpsons, mostrando de forma humorística e sarcástica como o problema vem sendo tratado ao longo do tempo e a alusão a um enorme bloco de gelo para a solução do mesmo, reforçando a gravidade da situação em que estamos.  Al Gore também emprega gráficos com mapas de estatísticas atmosféricas sobre milhões de anos lado a lado com fotografias da Patagônia, do Kilimanjaro, dos Alpes e da Antártida, entre outros locais, para revelar o degelo e mudanças demográficas que vem ocorrendo ao longo dos anos nesses locais, onde o homem pode ser o principal causar desses males.
              Outro ponto abordado é o derretimento das calotas polares e como isso pode afetar nos níveis dos oceanos. A partir de pequenas amostras de gelo, os cientistas podem calcular a temperatura e o nível de CO2 do ano através de bolhas de neve, como também a análise dos isótopos de oxigênio. Com isso é possível? Fazendo uma relação de quanto maior a concentração de CO2 presente nessa amostra maior é a temperatura do ano em que a neve caiu.  Isso também traz os resultados da concentração de dióxido de carbono ao longo de mais de 600.000 anos e notar que nos tempos atuais estamos muito acima do nível do ciclo natural.
           O furação Katrinna também serve de exemplo para demonstrar como o aquecimento mais acentuado dos oceanos influência na dinâmica natural.  Além disso, pontos no globo onde parecia praticamente impossível a formação de furacões estão sofrendo com esses fenômenos.  O aquecimento global também provoca a precipitação acentuada em algumas regiões, já que provoca a evaporação nos oceanos e secas em outras regiões, pois o calor excessivo provoca a evaporação no solo.
Não só problemas são apontados no filme, mas também soluções. Al Gore aponta que a reciclagem, o uso de bicombustíveis, energia limpa, entre outros fatores podem contribuir para uma diminuição dos níveis de CO2 na atmosfera e assim tornar a vida no planeta mais confortável.
              Além de abordar essas questões ambientais, o filme também mostra relatos pessoais e sobre a vida de Al Gore seu ponto de vista em relação ao governo de W. Bush.  Um exemplo disso é a sua relação com seu professor Roger Revelle e como ele influenciou Al Gore na questão ambiental.  Outro ponto é a influência da família de Al Gore no desenvolvimento de suas concepções ambientais e como o acidente de seu o filho marcou sua vida.
              Apesar de todos os gráficos, comprovações científicas e efeitos que podem ser sentidos e relacionados diretamente ao aquecimento global, muitas pessoas ainda tem a concepção de que o aquecimento global é apenas um ciclo natural.  Como o próprio AL Gore menciona o problema pode ser revertido se cada um tomar uma atitude e fizer a sua parte utilizando menos produtos que liberem dióxido de carbono no meio ambiente. Isso já seria o ponto de partida para o encontro de uma sociedade mais limpa.

Quem sou eu

Minha foto
Leonardo Bandeira
Estudante do primeiro semestre de Engenharia Ambiental pelo instituto federal de Maracanaú, formado em Inglês e atual estudante de Francês pelo IMPARH. Criei o blog com o intuito de repassar informações sobre o meio ambiente de forma crítica e direta.
Visualizar meu perfil completo

Sobre este blog

Minha lista de blogs

visualizações de página

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Pesquisar este blog